segunda-feira, 12 de março de 2018

Uma aventura às Trutas - com Vídeo!

Olá a todos!

Vou-vos deixar um pequeno relato de uma grande pescaria feita com 2 bons e fanáticos pescadores de trutas, num dia bem frio e chuvoso, ao ponto de não sentir a ponta dos dedos...! Só para duros!!

Num sitio totalmente desconhecido para mim, tive que absorver rapidamente as dicas que me foram dando pelo caminho e também no local.
Logo no primeiro lançamento, o Nuno apanhou uma bonita truta.... É de ficar maluco assim :)

Alguns minutos depois, tive uma truta ferrada, mas lá se desferrou...
Continuámos a ter ataques margem fora, de deixar qualquer um com os nervos à flor da pele, mas simplesmente não estavam a pegar bem.

Já no regresso e prestes a terminar a investida da parte da manhã, sentimos novamente actividade... O Joel que ia mais à frente teve um toque mas não ficou, passados uns minutos o Nuno ferra mais uma bonita truta!
Bonita truta!

A segunda do dia e do Nuno!
E coube-me a mim apanhar a seguinte! Uma bonita e colorida truta, a minha primeira captura do ano!
Douradinha

Primeira truta do ano!

Já valeu a pena!
Reconfortado o estômago, voltamos a investir da parte da tarde mas a actividade caiu bastante. Entre uma chuvada irritante e gelada e um nevoeiro cegante, tivemos 2 toques entre os 3 pescadores teimosos.
Nevoeiro
Desses 2 toques, resultaram mais duas bonitas trutas (uma para o Nuno e outra para o Joel) que, como as anteriores, voltaram para a água todas contentes :)
Olhem só que pinta :)

Pintarolas!
O relato podia simplesmente terminar por aqui, mas esta aventura teve um toque especial. Por ser uma pesca diurna, posso e optei por levar a actioncam para registar os vários momentos do dia.
E que belos momentos estes!

Vejam vocês mesmos o vídeo resumo, com uma produção e edição de qualidade a condizer, de Uma Aventura às Trutas :)


Ler mais »

quarta-feira, 7 de março de 2018

Limpeza das amostras após uma sessão de Spinning

Olá a todos!

Como tiveram oportunidade de ler no post anterior, uma grande mudança aconteceu para os meus lados e isso também afectou a parte piscatória!
Não tenho muito para relatar, porque ainda ando à procura dos meus cantinhos, tanto em água doce como água salgada. E isso leva tempo.... Muito tempo! Requer muita persistência e resulta em grades atrás de grades atrás de grades.... :)

Sem grandes relatos para fazer, opto então por partilhar convosco a forma como faço a limpeza das amostras após uma sessão de Spinning no mar!

Convém referir que limpeza das amostras traduz-se em lavar as amostras para preservar as fateixas, argolas e arames das amostras o melhor possível, sem ferrugem e salitre.

O processo é algo bastante simples, mas dá algum trabalho e com o cansaço nem sempre se tem paciência para o fazer. Cabe a cada um ter a disciplina necessária para "perder" 5 minutos (não demora mais do que isso) e poupar uns bons trocos!

Primeiro passo:

Depois de chegar a casa, basta pegar nas amostras e retirar as que estiveram em contacto com a água (directa ou indirectamente - salpicos) da bolsa.
Se utilizarem elásticos nas fateixas, retirem todos os elásticos das amostras e guardem.
De seguida coloquem as amostras num recipiente ou mesmo no lavatório com água da torneira.
Agora vão arrumar e lavar o resto das tralhas, voltem passado uns 5 minutos!
Amostras de molho!

Segundo passo:

Depois de tudo arrumado e lavado, é hora de tirar as amostras da água. Para isso, peguem em apenas uma amostra de cada vez e sacudam-na muito bem de forma a retirar toda a água.
Sacudir a amostra para tirar a água

Terceiro passo:

Uma a uma, pendurem as amostras e deixem a secar durante umas horas. Pode ser numa cruzeta/cabide, num arame, numa corda, qualquer coisa serve! Desde que estejam ao ar livre e penduradas!
Amostras a secar

Amostras a secar #2

Quarto passo:

Quando estiverem secas, podem colocar os elásticos nas fateixas e guardar as amostras no sítio habitual (caixa, bolsa, gaveta, etc).
Para ajudar, podem ainda colocar uma saqueta de Silica (aquelas que costumam vir nas malas ou bolsas) para retirar toda a humidade. Mas não é necessário, é apenas um preciosismo :)

Passo extra:

Quando sei que não vou ter muito tempo para fazer este processo ou o sal já está bem agarrado em tudo (ex: pescar durante o dia fica logo tudo branco do sal), costumo levar de casa um borrifador de 1,5L (daqueles das plantas/jardinagem) cheio de água. Terminada a pesca, mal chego ao carro dou umas borrifadelas bem dadas para dentro da bolsa, cana e carreto - e já está feita a pré-lavagem!
Aspersor também serve :)
Prefiro perder 5mins a fazer isto, do que encontrar o material todo corroído da próxima vez que pegar nele!

Não é nenhum truque de magia, não é o reinventar a roda ou a descoberta da pólvora, mas certamente haverá muito boa gente que não o faz e depois reclama do material... Sem manutenção, é difícil de aguentar o quer que seja!

Espero ter sido útil, até à próxima! :)
Ler mais »

domingo, 7 de janeiro de 2018

Balanço de 2017 e Novidades para 2018

Terminadas as festividades e muito provavelmente com uns quilinhos a mais, é hora de fazer um rápido balanço ao ano que passou e contar as novidades para este ano de 2018.

2017 começou da melhor forma possível, com capturas de bom calibre; algo que não é normal, pois por norma, no início do ano, os mares permitem sequer a mínima aproximação (como se verifica inclusive actualmente).
Tal como disse anteriormente, e contra o habitual, tivemos poucas noites (e também manhãs) para pescar, mas nas que conseguimos pescar, fomos felizes!


Com o tempo a aquecer e a Primavera a brindar-nos com dias mais quentes, a habitual ida às trutas não me deu trutas, mas deu um belo barbo que jamais irei esquecer :)
Ainda mal me tinha recomposto do barbo, já estava eu à luta com uma boa corvina!
Isto tudo prometia ser sempre a melhorar e a subir, mas depois chegou aquela altura em que por mais se tente, não surgem os robalos e, quando surgem, são pequenos....
O que acaba por safar estas alturas são os momentos entre amigos, que servem sempre para dar umas valentes gargalhadas :)


Foi em pleno Verão que finalmente cumpri um sonho antigo e há muito desejado - ir aos Açores.
Não sem antes apanhar uns robalos por aqui, para ir mal habituado :)
A aventura pela ilha foi espectacular, secretamente e aqui que ninguém me ouve - já vou sonhando com a próxima vez ;)




Claro está que depois de quase ter levado uma coça nos Açores, vinguei-me dos robalos por cá e ainda tive umas boas noites, com boas capturas e em quantidade!
Mal eu sabia o que me esperava....


Se quiserem números, contabiliza-se um total de:
- 26 grades (15 foram seguidas)
- 48 capturas (retive 20 Robalos, 2 Garoupa-da-pedra, 2 Bicudas, 1 Corvina, 1 Lírio, 1 Peixe-porco, 1 Baila) das quais fiz 20 libertações ( 12 Robalos, 7 Peixe-lagarto, 1 Peixe-balão)



Suponho que, chegando a esta parte do post e com tanto balanço já lido, estão a pensar "sim isso é tudo muito bonito e o ano até nem correu mal, mas então, e as novidades?" ;)

As novidades podem resumir-se com o nome de um post antigo - Ano novo, vida nova... Pesqueiros Novos! - mas agora em sentido inverso. Confuso? Já vão perceber melhor...

Pois é meus amigos, dentro de alguns dias irei deixar para trás a zona sul do país e rumar ao Norte!
Será no Porto o meu novo pouso ;)

Para já, está a correr tudo de forma tranquila e ordeira, sem grandes complicações e stresses. A mudança é um processo demorado e complexo, com muita logística, organização e agilidade envolvida, mas tudo se resolve, com calma e clareza ;)

Para trás, ficam uns bons anos de pesca e companheirismo, foram muitas horas a lançar e recolher linhas, muitas escamas e grades partilhadas....
Levarei comigo amigos verdadeiros!

No que toca à pesca, lá irei eu ter que procurar novos pousos, novas abordagens, novos padrões... Vai ser interessante, vou voltar a ser o verdadeiro GRADEIRO :)

Ah sim, agora poderei visitar Viana do Castelo mais vezes e assim fazer a minha "Pesca em Viana" ! ;)
Ler mais »

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Andamos por aí

Olá pessoal!

Está na hora de pôr em dia as aventuras que fomos tendo, que ainda foram algumas!

As grades estão sempre garantidas e ainda trouxemos umas quantas para casa. Faz parte, nunca é demais relembrar...
Mas houve algumas noites com escamas e, por norma, são essas que ficam na memória e valem a pena contar :)

Numa investida nocturna, eu e o Grigas fomos ver o que se passava no mar. As previsões não estavam famosas mas a vontade e ânsia por uns lances dizia-nos para irmos na mesma.
Chegando ao local confirmámos aquilo que não queríamos, estava um bocado fora do normal e expectável...

Mas somos teimosos. E saindo da nossa zona de conforto, procuramos sítios que não são habituais.
Estava eu descansado a fazer lances num lado, o Grigas mais afastado de mim, quando tenho um ataque mesmo aos pés que se desferrou logo de seguida.
Dou sinal ao Grigas e ele retribui o sinal.

Não volto a ter ataques e vejo a luz do Grigas acesa, algo se passa....
Vou até à beira dele e vejo-o a cobrar um peixe jeitoso. Contava-me ele que há pouco tinha dado sinal, por ter tido um peixe desferrado. Afinal, não era retribuição de sinal....!

Passado um bocado, tira mais outro do mesmo calibre. Estava a correr-lhe bem a noite :)
Grigas com 2 boas capturas!
Continuámos à procura deles e, já nos últimos lances, ele tira mais um robalo mas mais pequeno, prontamente devolvido à água para crescer mais um pouco.

Acabei por nos últimos 2 lances tirar um robaleco também devolvido à água ;)
O meu robalote safa-grades :)

-------------------------------------------

Nova investida, condições semelhantes, mas agora com nova confiança. O remédio santo para nos deixar descansados quando tentamos pesqueiros novos!

A abordagem não mudou muito, apenas o protagonista da noite :)
Desta vez, calhou-me a mim sentir peixe e acabei com uma boa captura, uma libertação e mais um toque-e-foge...

A primeira captura foi um verdadeiro golpe de sorte, já que veio bem ferrado.... Pela beiça. E só até chegar à areia! Mal tocou na areia, a amostra sai disparada para cima e o peixe fica aos saltos à espera da onda. Lá foi preciso rapidamente deitar-lhe a mão para não fugir :)

Capturas no limite!
Pouco depois tive o toque-e-foge que deixa qualquer um em brasa, mesmo depois de acontecer tantas vezes :)

A última captura foi, mais uma vez, antes de irmos embora e veio ferrado "por onde calhou". Era pouco maior que a amostra....
Coitado... Mas de volta à água na mesma!

-------------------------------------------

Para terminar, fica uma investida com pouco para relatar além da própria captura.
Estava numa zona com muita rocha e apostei numa lowcost que comprei há muito tempo a pensar neste tipo de cenários - carne para canhão.
Nunca me tinha dado nenhuma captura, apesar de a utilizar de vez em quando. Era também uma amostra para inventar e foi o que fiz quando peguei no marcador preto e desenhei umas riscas no dorso para tentar imitar uma cavala!

Voltando à pesca, estávamos numa zona que mexia bem mas com tempo contado, a maré estava a encher e não ia abrandar a subida por nós.
Com a amostra quase aos pés, tenho um bom ataque e logo começa a fugir! Aquele som áspero do multifilar a passar nos passadores, os clak-clak do drag, a cana a dobrar em cada bater da cauda.... É impossível não adorar isto!

A fuga deu-se para o lado menos favorável, havia logo ali uma pedra com mau aspecto, daquelas que tem ar de esfomeada por amostras. Sabia perfeitamente que apertar com o peixe ali, ia dar mau resultado.

Optei por abrir um pouco o drag, deixar o peixe afastar-se da pedra e depois passar o fio por cima, para recolher do outro lado.
Foi tremida a luta, senti o multi a passar na pedra mas consegui soltar sem males maiores.

Faltava recolher o peixe.... E não foi fácil. Com o peixe à tona da água, acendo a luz e reparo que estava ferrado.... Pelo opérculo. E ao mesmo tempo, abrir o drag quase TODO para não puxar nem forçar mais. Agora era só e apenas manter tensão até conseguir encostar numa zona onde fosse possível ir lá buscar.

Suores frios, muita calma e paciência. Resumo assim os momentos antes da cobrança do peixe.... Que no fim, acabou por ser um sucesso!
Valente robalo!

Muito mal ferrado....!
Um belo robalo com aprox. 2,5kg apanhado numa lowcost de últimas escolhas. Woooow...!!
Selfie da praxe :)

Grande robalo! Inesquecível!
Há muitas capturas que fazemos e acabam por nos escapar à memória. Esta, não será uma dessas certamente!!
Ler mais »

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

De volta aos Labrax!

Olá a todos! Espero que tenham gostado do grande e longo relato dos Açores :)

O que lá vai, lá vai e ainda mal tinha terminado a aventura nos Açores já estava de olho nas previsões para poder molhar as amostras.

Numa das várias visitas aos sites de previsões, encontrei uma boa abertura para fazer uns lances. Havia um pequeno senão: grande parte do material que tenho ainda estava no contentor a caminho...

Bem, lá estive a ver o que deixei para trás e consegui juntar numa bolsa pequena uma dúzia de amostras variadas, mas de segunda escolha, 2 vinis, 4 ponteiras de mono e 4 clips. Não tinha grip, alicate, tesoura, amostras que normalmente utilizo... Olha, que se lixe!

Na primeira noite encontrei um mar completamente derretido. Quase não havia movimento! Pensei até que tinham feito uma piscina na minha ausência e nem dei por ela :)

Noite fora fui rodando amostras até que tive 2 ataques de seguida que não ficaram bem ferrados e fugiram. Chateado, soltei algumas palavras impróprias para pessoas sensíveis...
Mais um pouco de insistência e faço a primeira captura desde que pousei os pés no continente :)

O primeiro pós-Açores :)


Grade já não levava! Olhei para o mar, estava cada vez mais parado e com o descer da maré as cabeçadas na areia eram cada vez mais. Reduzi o tamanho da amostra e voltei a sentir peixe.
No espaço de 1h capturei mais 4 robalos, libertando os 2 últimos por não terem o tamanho certo e adequado ;)
E mais um :)


E olha outro :)


Este vai para a água!

E este também!!
Com 3 peixes retidos e a maré a subir, já estava mais que feita a pesca. Fiquei surpreendido pela forma como o peixe estava a atacar. Com a maré tão parada, conseguia ter percepção das pedras à minha volta. Com isso consegui ter noção da zona de ataque do peixe, sendo quase sempre no mesmo local e pedra. Por 2 ou 3 vezes, ao passar a amostra na zona, estava com o feeling que teria ataque - e acontecia.
Uma boa colheita :)

-----------------------------------------------------------------------------
Numa outra noite, as condições pioraram, levantando vento e mar. A primeira escolha para pesqueiro revelou-se uma escolha falhada e tive que recorrer a plano alternativo. Sem saber ao que ia, tive que optar por "ou vai, ou racha" que é como quem diz "ou tem condições e consigo pescar, ou vou acabar em casa não tarda nada!"

Acabou por revelar-se uma boa escolha, ao fim de 20mins tinha o primeiro peixe ferrado!

Mais uma boa captura :)
Daí para a frente estive sempre a sentir peixe, com arranques fantásticos e cheios de energia! Muito louco mesmo, peixe com pouca água e cheio de energia dá uma descarga de adrenalina capaz de deixar qualquer um a tremer das pernas :)
E vão dois!


Pelo meio da pesca tive ainda 2 que escaparam de boa, um já a levantar e outro que apenas bateu e fugiu. Que lhes corra bem o resto da vida ;)

Já sem bateria para o flash :\
Fui tentando tirar fotos com as capturas, mas a bateria fraca no telemóvel tirou-me o flash e por causa disso as fotos ficaram um bocado fracas...

Uma boa captura :)



A pesca estava bem preenchida e com a maré a subir quase a mandar-me embora, fiz o habitual ritual dos "5 lançamentos e está feito". Obviamente que ao segundo lançamento lá veio mais um....
Grande noite!!
Dei por terminada a pesca com 6 bons exemplares e um sorriso rasgado na cara. Já não tive o mesmo sorriso quando tive que carregar o peixe até ao carro... :P


-----------------------------------------------------------------------------

Ainda na ressaca da noite anterior, desafiei o Grigas para ir fazer uns lances, mesmo sabendo que as previsões já estavam a mudar. Com alguma negociação lá acabou por aceitar e fomos molhar as amostras.

Ele foi o primeiro a tirar, era de tamanho pequeno, mas que dava a entender que andava peixe pela zona.

Passados alguns minutos foi a minha vez de tirar peixe e desta vez já foi um de bom calibre. Pôs-me em sentido com os arranques que mandava e, mesmo prestes a ser recolhido, ainda deu trabalho quando a fateixa da amostra decide ir contra os pés do Grigas (que estava a recolher).

Foi um momento de alguns nervos mas acabou por correr tudo bem :)


A noite acabou com mais 1 captura para cada um, novamente de pequeno porte - voltaram para a água como manda o bom senso!

E assim foi o regresso às águas continentais :)

De realçar que eu estava sem clips, sem fluorcarbono e sem algumas ferramentas (grip, tesoura, alicate). Só tinha a ponta de fluorcarbono que já estava no carreto, o clip que estava na cana e pouco mais. Como bom português consegui desenrascar algumas coisas, mas por sorte acabei por não precisar de nada :)
Ler mais »